segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Esse Luiz Penido da Tupi...


Na foto: eu, Jorginho Nunes, Professor Isaías, Wagner Menezes ladeado pelas sambistas da Portela e o nosso Luiz Penido no estúdio da Super Tupi, durante uma apresentação do Giro Esportivo.
Fala sério: Sou fã do baixinho...E quem não é?!
Por isso mesmo, fiquei triste quando soube que o apê dele foi arrematado num leilão e que o dinheiro será todo para pagamento de dívidas. Lamentei mesmo.

Não o conheço pessoalmente; mas meu filho Cristiano, que morou oito anos nos Estados Unidos, foi amigo dele nas peladas em Miami e agora, de volta, descobriu que a amizade continua.

Que bom.

Romário é dessas glórias brasileiras que se tornou supra-time : Não é do Vasco, do Flamengo, do Fluminense, do Botafogo...de ninguém.
É do Brasil!

Por isso mesmo, torço para que ele drible mais esse momento e dê luz ao até aqui apagado América e que ele e o time alvo-rubro possam deslumbrar uma saída no final do túnel...

Foi mais ou menos isso que eu disse na abertura do meu programa (Super Madrugada Tupi) no dia do Leilão.

Aí, surpreendeu-me o Maciel ( êta, operadorzaço!) com algo que não estava no programa: O Luiz Penido narrando o milésimo gol, naquele momento em que Penido eternizou com

" Ele,ele,ele...sempre Ele..."

Confesso a vocês que não deu pra segurar a lágrima de emoção.

Paula Ranieri pegou no flagra a primeira gotinha que insistiu em aparecer nos meus olhos e me perguntou: " ...tá chorando por causa do Vasco?".

Não, respondi.

Por causa do Romário , do Vasco e pela emoção que somente um craque do rádio como o Luiz Penido poderia aflorar.

Foi aí que a minha abertura mudou de tom...

Falei do Romário, é verdade.

Mas passei a enfocar a importância do rádio e de narradores da estirpe de um Luiz Penido.

Coisa cada vez mais rara, diga-se de passagem!

Penido consegue fazer com que um admirador do esporte como eu, " veja " o jogo com a sua brilhante narrativa, recheada de maneirismos pessoais, muita inteligência e bom humor.

No entanto, não é só isso.

O Penido viiiibrrrrra (assim mesmo!) mesmo com os times cariocas!

Só um locutor com a sua genialidade seria capaz de achar esse slogan : "ele, ele, ele...sempre ele" pra classificar o Romário.

Parece simples... Mas não é.

Trata-se do reconhecimento de um "grande" por parte de outro "grande".

Só quem viveu quase quarenta anos narrando futebol como o Luiz Penido, sabe o quão é difícil ser artilheiro com a baixa estatura do Romário em meio a autênticos "armários" que são os zagueiros de um modo geral.

Foi assim que tomei o exemplo do Penido e naquela abertura "virei o jogo" a favor do rádio.

Disse e repito: Não fosse a rádio Tupi e o nosso querido Luiz Penido, Romário ainda seria reverenciado pelo que fêz em campo. Claro. Mas faltaria o "Ele, ele, ele...sempre ele!". O que, aliás, pode ser aplicado ao próprio Penido. Haja peito, voz e coração!

Um comentário: