quarta-feira, 12 de agosto de 2009

E a denúncia contra a Igreja Universal, hein?!

O brasileiro está se acostumando com as várias denúncias que sempre acontecem numa democracia; alguns inconformados, é verdade, reclamando à beça.
Tem maluco querendo deixar o país, fechar o congresso e até colocando os politicos como se todos fossem "farinha do mesmo saco".
Não são.
Na verdade tem um monte de políticos safados que têm mesmo de ser alijados da política e mais: punidos pela justiça.
Mas não são todos!
No entanto, como tem uma turma de desinformados e derrotistas, esse pessoal fica mandando e-mails na base do " isso só acontece por aqui...", "Não aguento mais esses políticos" , "Paisinho de merda" , "Vou deixar esse país...etc".
Deixam nada.
Reclamam, só!
E o que pior: Qualquer raciocínio desses é torto.
Geralmente parte dessa gente é composta por saudosistas do regime de exceção e que dele se beneficiaram até psicológicamente, já que á época, a corrupção não era divulgada porque não havia liberdade de imprensa e aí, é aquela velha história: O que os olhos não vêm, o coração não sente...
Lamentávelmente para esses, lamento informar que a corrupção existe em todo o mundo, em maior ou menor escala, neste ou naquele país.
Nenhum escapa!
Mas só nos países democráticos e que possuem a consequente liberdade de imprensa são aqueles que têm a corrupção denunciada .
Regime de força (ditadura) prende, mata, arrebenta mas não divulga e permite a corrupção particular dos puxa-sacos do regime que também fica sem ser divulgada.
E por falar em denúncia, a mais recente é contra o Bispo Macedo.
O Ministério público diz ter provas e acusa Macedo por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, segundo denúncia do jornal " A Folha de São Paulo ".
Dizem os antigos: " Onde há fumaça, há fogo"...
Claro que cabe ao acusador o onus da prova .
Mas, havendo a desconfiança, torna-se importante a investigação do fato.
A denúncia é grave e por isso, a justiça fêz saber ao acusado que ele tem dez dias para apresentar a sua defesa.
Independentemente disso, o processo vai correr na justiça e foi pedida até ajuda internacional, já que a igreja tem filiais em vários países.
O dinheiro doado por fiéis e livre de imposto só pode ser aplicado em obras sociais e na manutenção dos templos, segundo a lei.
Tal não aconteceu, segundo o Ministério Público.
O dinheiro dos doadores teria servido para aquisição de empresas de comunicação e até bens como aviões particulares e afins...
Ou seja, para o enriquecimento ilícito dos acusados.
Fêz bem o Ministério Público ao denunciar.
Caso tal não se comprove, o acusado terá a chance de provar o contrário e até exigir uma reparação judicial.
No entanto, se uma só dessas denúncias proceder, o que se espera é a consequente punição dele e dos demais responsáveis .
A lei não pode ser burlada dessa forma, afinal, o Brasil não só merece como necessita de mais seriedade e mais honestidade em todos os setores.
Até nas organizações religiosas!

Um comentário: