sexta-feira, 27 de abril de 2012

Troca-troca no esporte das emissoras do Rio

Vamos por partes: Hoje, a audiência do esporte da Tupi é primeiro lugar e já há mais de dois anos! Claro que o Penido teve muita importância nisso mas essa audiência aconteceu também pelo apoio irrestrito dado pela direção da casa. O que quero dizer e imagino que aconteça é que num primeiro momento a Tupi contará com sua equipe atual, despontando com dois excelentes narradores: O experiente Jota Santiago e o locutor "revelação", Odilon Junior e tendo o suporte dos comentaristas e repórteres consagrados da rádio: Apolinho, Jorge Nunes,Rubem Leão,  Wagner Menezes, Eugênio Leal e os demais. Vale dizer: A Tupi é a líder e as demais é que irão lutar para retomar essa liderança. Conseguirão? Podem ou não. Isso porque, se é verdade que o querido Luiz Penido é um excepcional locutor esportivo, por outra, o José Carlos Araújo também o é e, nesse troca-troca, ambos vão enfrentar situações diferentes. O Penido irá lutar contra a audiência que ele próprio ajudou a construir e contra a natural resistência dos ouvintes da Globo, acostumados com a voz do José Carlos Araújo. Já este, terá de construir uma audiência e tentar tirar os ouvintes que eram dele e que estão na Globo. Com relação a Bradesco Sports, por mais que seja uma rádio que nasce de um grupo forte, trata-se de uma rádio nova e a experiência diz que não se faz uma grande audiência de rádio da noite para o dia. Claro que a saída do Penido e do José Carlos de suas emissoras representou uma grande perda. Todavia, penso, cabe a emissora líder a serenidade para avaliar as próximas pesquisas e, se necessário, fazer as adequações necessárias no tempo apropriado. Vale dizer: sem açodamento!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Dicró se foi...mas tem festa no céu!


Faz menos de um ano que o Dicró entrou pelo estudio na Tupi na hora do meu programa e, como sempre, sem marcar hora.
Dicró era assim: boa gente, simpático e absolutamente bem-vindo.
Lá vinha ele com suas músicas sacaneando a sogra que, sabemos, na verdade ele amava e respeitava mas em suas letras, esculhambava...rs
Estava no auge e ainda participando do Fantástico quando descobriu que era diabético.
No entanto, ainda assim, Dicró se cuidava, vivia para os shows e principalmente para a família.
Para o grande público, Dicró era o velho malandro que driblava as agruras da vida e nos fazia rir com o bom humor de suas músicas.
Foi-se Dicró, com direito a roda de samba no velório e tudo!
Não podia ser diferente.
Nós, que aqui ficamos por aqui, vamos sentir muita falta dele, enquanto lá no céu Dicró afina a cuíca e o pandeiro pra soltar a voz depois.
Lá, alegria!
Por aqui, saudade...
Vá com Deus amigo Dicró!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Queridos leitores: Como no próximo dia 2 de junho estarei fazendo 50 anos de comunicação, brevemente estarei lançando pela editora "NovoSer" o livro do mesmo nome, contando a minha história, "causos" e poesias que fiz para o rádio. Mais proximamente estarei divulgando hora, data e local da noite de autógrafos que deverá ser na última semana de maio.

A cidade do Rio de Janeiro enfrenta uma epidemia de dengue, segundo o secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann. Ele informou que o número de casos registrados por 100 mil habitantes ultrapassou 300 notificações no mês de março, caracterizando situação epidêmica.
O número de casos registrados da doença este ano passa de 50 mil. Só na última semana foram notificados 517 casos.
"A gente já tem um planejamento voltado para a epidemia e continua em estado de alerta. Este é o momento em que a gente mais precisa do cidadão. Agora, a nossa prioridade é a prevenção", disse Dohmann.
De acordo com o boletim semanal divulgado nesta terça-feira pela Secretaria de Estado de Saúde, 13 pessoas morreram de dengue no estado do Rio, sendo 12 só na capital fluminense e uma em Niterói, na região metropolitana do Rio.
O maior número de casos consolidados de dengue foi registrado nos bairros de Bangu, Realengo e Campo Grande, na zona oeste, com 420 notificações, seguido de Madureira e região, com 29 ocorrências. Na maioria dos casos (84%), a incidência é de dengue do tipo 4.
"A gente precisa ganhar a cultura de que essa é uma cidade com clima tropical. A participação da população é fundamental, lembrando que dois terços dos casos são encontrados na casa das pessoas", disse o secretário.