domingo, 29 de maio de 2011

O que você acha?

No domingo à tarde, eu vi o bom programa VerTV da Rede Brasil onde alguns jornalistas questionavam sobre se certos programas sensacionalistas das televisões poderiam mesmo ser chamados de “jornalísticos”, uma vez que, segundo eles, tais programas visam muito mais a audiência do que a informação e na maioria das vezes, ao divulgarem crimes em cima de crimes, passam um verdadeiro terror televisivo, inclusive levando a insegurança ao lar das famílias e , o que pior, até incentivando mentes doentias a seguirem a carreita do crime.
Penso que a dúvida procede até em certos telejornais, principalmente quando acontece uma tragédia como aquela do colégio em Realengo que foi mesmo terrível e, com certeza, teria de ser divulgada durante dias e até aí, é jornalismo mesmo.
O que se questiona é que, dias e dias a fio, toda vez que tais telejornais ou programa noticiavam a tragédia, as tvs repetiam exaustivamente a cena do criminoso saindo da sala de aula e recarregando a arma.
Ora, logo após a tragédia, tinha de ser assim.
Mas muitos dias depois, essa repetição excessiva pode mesmo induzir à insegurança e mostra uma preocupação de certos órgãos muito mais sensacionalista do que a comunicação séria que prioritariamente deve ser exercida.
Já há um projeto na Câmara Federal que visa coibir tais demonstrações de terror e sensacionalismo barato que muitas vezes tão somente visa o aumento de audiência.
Com certeza é algo que tem mesmo que ser analisado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário