sábado, 5 de maio de 2012

"Um Brasil de audiência"...

 Essa história de " rádio Brasil" é de todo mundo. Todo mundo quer ter "um Brasil de audiência", aliás, o slogan sempre foi muito bom e quem criou, que eu me lembre, foi o Hélio Tys quando eu estava na Globo. Mas esse "Brasil" acaba se limitando entre três ou quatro capitais, sendo que, na atualidade, as mais imoortantes continuam sendo Rio e São Paulo. Por mais que Belo Horizonte seja uma bela capital, lá a Itatiaia domina com mais de 80% de audiência! Quando se fala em "regionalismo", nada tem a ver com "bairrismo" como foi defendido pelo Viegas, aqui. o Rio é a cidade que melhor recebe os brasileiros de todas as partes e, portanto, não existe o tal "bairrismo". Todavia, quando o rádio centraliza as suas notícias na cidade em que é gerado, multiplica o número de empregos e descobre ainda mais valores. Fazendo rede, sempre os grandes salários vão ficar na cabeça da rede, sempre nos grandes centros, e os ouvintes do interior vão ficar cada vez mais desinformados das suas regiões, isso sem falar nos empregos que escasseiam nas pequenas emissoras.Vá ver quantos funcionários a Globo tem no Rio e quantos ela tem em BH? Por isso, defendo que as grandes tenham redes mas que os empresários do interior invistam em rádios locais que possam abrigar os profissionais de lá e possam informar as suas tradições locais, coisa que nenhuma rede, por maior que seja, o fará com perfeição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário