sábado, 21 de novembro de 2009

Alguns policiais atiram sem pensar...

Acho que o Secretário de Segurança, Beltrame, tem feito um bom trabalho à frente da sua secretaria e não tenho dúvidas de que ele e o Governador Sérgio Cabral darão conta do recado com a diminuição progressiva da violência, nem que seja pelo enfrentamento, às vezes, inevitável, principalmente quando a polícia é recebida à bala.
No entanto, na sexta-feira passada, dia da consciência negra e, portanto, feriado, na praia lotada do Arpoador, chamaram os policiais, porque um homem ameaçava os demais com um canivete.
Diz o comando da PM que, uma vez abordado, o cidadão partiu pra cima dos policiais e acabou levando três tiros e morrendo ao ser socorrido.
Por quê isso?
Um policial com um 38 na mão, ao notar que o cidadão iria pra cima dele, estando bem preparado, não poderia atirar, por exemplo, na mão que portava o canivete?!
Ou na perna?!
Ou, se dois ou três melhores pms mais preparados lá estivessem, não poderiam simplesmente desarmar e algemar o rapaz?!
Caso a PM carioca tivesse aquela pistola elétrica que os PMs de São Paulo têm e que imobiliza o bandido com uma descarga elétrica, além de salvar uma vida, não evitaria o pânico que tomou conta dos banhistas após o ocorrido, colaborando para que não saísse de nossas fronteiras mais uma notícia de morte por tiro em Copacabana?!
Essa foi uma reação do despreparo e, a meu ver, injustificável.
Faço um apêlo ao serecretário Beltrame e ao governador Sérgio Cabral, afinal, essas balas que mataram o rapaz que, até prova em contrário, tanto poderia ser um marginal quanto um doente mental; caso errassem o alvo, poderiam perfeitamente tirar a vida de pessoas inocentes.
Queremos confiar na polícia e não nos apavorarmos com ela!

Nenhum comentário:

Postar um comentário