quinta-feira, 9 de junho de 2011

Como esse mundo é machista...ainda!

Primeiro, muito machista lutou para que a Dilma Roussef não fosse eleita e , diga-se de passagem, nem todos eram "machistas": alguns apenas eram adversários políticos.
E têm esse direito!
Mas, não é desses que estou falando. Não.
Estou falando dos "machistas" que, no início, alegavam : "...mas ela está com câncer...não vai aguentar...etc."
Depois, uma vez eleita a primeira mulher que se chamou de "presidenta do país" (assim mesmo, com A) , foi criticada por vários e-mails na net tentanto depreciar o termo às custas do bom português, citando "professores de português"; como se criar uma nova palavra, um neologismo, fosse algo proibitivo, absurdo!
No fundo, incomodados porque temos uma mulher no poder, prefeririam pelo menos que ela usasse presidente (que é mais macho...) do que "presidenta"... então, tá!
Algumas mulheres então nem se tocaram que o novo têrmo é uma homenagem a elas mesmas...Esquecem que a toda hora se cria uma palavra nova no vernáculo> Um exemplo? Deletar! Ninguém mandou e-mals contra "deletar" e similares. Nenhum professor de português achou que deletar seria uma ofensa ao bom português...
Aí, Dilma pega uma pneumonia e teve quem dissesse : "O melhor candidato seria o ex- presidente do banco central , o Henrique Meirelles...ah, bom!". Claro! É um macho! Ai o cara emendou : "Ela tem a saúde muito fraca...não vai aguentar...". Por último, descobriram que o Paloci ficou dez, vinte, sei lá quantas vezes mais rico e o acusaram de tráfico de influência. Ele diz que não teve...mas teve. Alías , como sempre acontece quando alguém é amigo deste o daquele governante ou vocês acham que despejaram dinheiro na conta do Palocci quando ele estava fora do governo, só por ele ser um bom médico e feliz companheiro?!
Claro que não.
À época, era amigo íntimo de quase todos que poderiam governar o pais,como hoje governam e para se garantir, as tais empresas enriqueceram o Palocci.
Aliás, como aconteceu com todos os políticos até hoje tanto da esquerda, quanto passando pelo centro e chegando á direita.
Mas, o detalhe é que até aqui não foi provado nada de irregular.
Pode-se condenar a prática mas não se pode esquecer que ela existe desde que o mundo é mundo: que o diga quem conheceu o falecido José de Magalhães Pinto que se tornou dono de um dos maiores bancos do país e com o apoio da ditadura militar, tornou-se governador do estado de Minas.
Mas, suponhamos que se ache errado: Pois bem.
Pressionado, o Paloci deixou o governo e agora, os machistas de plantão corneteiam: "o governo da Dilma ía tão bem...pena que ela se perdeu...".
Gente! Mal começou!
Caso o sr. Antonio Paloci tenha cometido algo ilegal, está aí o Ministério público para apurar e pedir justiça.
Agora, isso tem a ver com o governo da Dilma?
Tem.
O fato dele ser amigo dela, mesmo que ele não procurasse, fez com que vários empresários com segundas intenções, talvez, enchessem os cofres da firma de Paloci. Mas, numa época em que ele não estava no governo e que ninguém, nem mesmo a Dilma, poderia impedir.
Aí, por fim, os machistas falam em "sobras de campanha".
Queridos: Desde que me entendo por gente , quase todas as campanhas desse país levaram essa má fama, mas até aqui, ninguém achou nada...Claro que em várias campanhas ocorreram muitas sobras...mas vocês acham que alguém vai dizer? Admitir?!
Agora, o impressionante é a "cara de pau" de alguns dos políticos acusadores: todos eles ricos, belissimamente remunerados, todos com "o rabo preso" e muitíssimo procupados com o dinheiro público! kkk Melhor fariam todos (do governo e da oposição) se abdicassem de grande parte dos seus polpudos vencimentos em favor de escolas melhores, hospitais públicos mais decentes, um salário verdadeiramente mínimo e uma aposentadoria que não diminuísse a cada mês!

2 comentários:

  1. Muito lúcida a sua crônica:
    Apenas um reparo:
    O político Magalhães Pinto se tornou Governador por Minas, através do voto direto dos mineiros, na mesma época que Jânio Quadros foi Presidente da República e Carlos Lacerda Gov. da antiga Guanabara (os tres da UDN).
    Ele não foi Gov. através do militares. Pelo contrário, eles é quem apoiaram o golpe militar de 64.
    Abração Amigo
    Fernando Pereira

    ResponderExcluir
  2. Verdade, Fernando. Obrigado pela correção.

    ResponderExcluir