segunda-feira, 17 de setembro de 2012

No Rio, a modernidade do rádio!


  1. Com certeza, não houve diminuição de audiência do rádio no Rio e, sim, a multiplicação de emissoras (por todo o país, também!) e a cosequente divisão da audiência. Um exemplo disso se dá no Rio de Janeiro: Nos anos 70, tínhamos as seguintes emissoras de expressão: tupi, Globo, Eldorado, Mundial, Tamoio, Nacional, Continental e uma única fm: a tupi que era básicamente música de elevador, já que o p...
    ublico não dispunha de receptores FM. Hoje, por baixo e sem contar com as rádios "piratas", temos mais trinta emissoras! É claro que houve uma pulverização da audiência, notadamente entre as rádios menores, mas não com relação à dupla TUPI, GLOBO. Essas duas emissoras juntas, detém mais de 80% de audiência do AM e em FMs, TUPI E FM O DIA, somadas, obtém quase 50% do mercado. No interior e demai capitais, observa-se a mesma multiplicação de prefixos e pode, no entanto, m determinados lugares, apontar para a queda de audiência. Muito mais pela falta de criatividade do que pela queda de audiência do rádio como um todo. Uma coisa é certa: o rádio AM, este tende a ter cada vez menos audiência. Mas não estou falando do tipo de programação e, sim, da frequência. Esta pede audiência por causa da melhor qualidade de som dos FMs e diante de modernidade dos computadores,I pods, I pads e celulares. Recentemente comentou-se aqui que "a web seria uma realidade distante". Não é! Emissoras como a Tupi ( Que dentro de um ano em novo endereço terá o mais completo estúdio multimidia do Brasil que já está sendo construido em novo prédio!), a Globo, a Band News e Cbn já saíram na frente com as imagens radiofônicas em HD ( Hi definition). O presente do rádio é e será cada vez mais multimídia. A tal ponto que no máximo em dez anos, aponsentar-se-á o receptor (aparelho de rádio) da forma que o conhecemos em troca de um aparelho multimídia cada vez menor e com multíplas funções. Vão ficar cada vez mais obsoletas as dispendiosas torres de transmissão porque, com o fácil acesso proporcionado por PCs e satélites, não haverá necessidade mais delas. Por isso mesmo que a pioneira rádio Tupi foi a primeira a acrescer o FM ( Hoje, com mais audiência do que a sua AM e mais audiência do que a Globo AM). Vale dizer que os donos de emissoras AM têm de torcer pelo aparecimento do rádio digital ou mesmo pela idéia de alguns que seja possível (Não sei!)de uma forma subsidiada, a transformação das AMs em FMs. Quanto a Tupi do Rio, posso afirmar que da última vez que nela entrei (faz 16 anos!), nas transimissões esportivas, por exemplo, ela perdia de muito para a rádio Globo. Hoje, e já há três anos, quem perde de muito é a rádio Globo. Na programação tal história se repete! Repito: nunca a Tupi teve tantos programas líderes e com tanta audiência. Claro que essa audiência , ainda que lider, oscila para mais ou para menos. Mas o rádio do Rio está cada vêz mais ouvido. Na Tupi, mensalmente temos reunião de IBOPE com a direção e por isso mesmo, estamos sempre atualizados com relação ao que acontece com os números do rádio do Rio de Janeiro.

Um comentário:

  1. Fernando. Essa audiência da Tupi é porque a emissora tem uma direção e diretriz de programações e profissionais de gabarito, como vc e outros, além de técnicos competentes, engenheiros de som e de informática, onde com certeza a Tupi com o pioneirismo de transmissões em HD dos estúdios e agora com vc informou com novos estúdios no novo prédio e com tecnologia de ponta. Assim acaba com a hegemonia da outra.

    ResponderExcluir