segunda-feira, 23 de julho de 2012

Em favor do aparecimento de novos e talentosos comunicadores, uma emissora musical deveria tocar, no máximo, cinco músicas por hora e dar nome a cada programa. Explico: Todos somos a favor das boas músicas , mas quando uma emissora toca de 10 a doze músicas por hora, ela valoriza a sua programação, talvez, mas não dá oportunidade para o locutor se transformar em comunicador, ou seja, uma atração. E aí, o que acontece é o que cansei de ver ao longo da minha carreira: vozes lindas, grandes locutores (potencialmente "comunicadores") e que se perderam ao longo do caminho porque suas emissoras priorizaram tão somente a música, esquecendo-se ( talvez, propositadamente!) que o rádio deveria ser do radialista...

3 comentários:

  1. Em parte tens razão querido amigo... porém tem comunicador que passa a maior parte de seus programas tocando vinhetas de auto-promoção.
    De que adianta 2 ou 3 horas de programa, quando na verdade o tempo útil do programa e de 20 a 25 minutos (ou menos!) ???? E o ouvinte... como fica?
    Eduardo D´Olivier

    ResponderExcluir
  2. Concordo e me preocupo com o fato.
    Imagine o rádio daqui a alguns anos? Invcadido por apadrinhados? Sem o comprometimento e amor de radialistas como vc e tantos outros que escrevem a história da comunicação?
    Sou radialista e jornalista. Trabalho numa rádio pequena e gostaria muito de enviar meu DEMO para sua audição.
    Forte abraço
    Ubirajara Oliveira
    sextatotal@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. ESTA É A GRANDE DIFERENÇA ENTRE "LOCUTOR" E "COMUNICADOR". LOCUTOR QUALQUER UM PODE SER, MAS SER COMUNICADOR SÓ COM DOM, PACIÊNCIA, PERSEVERANÇA... PARABÉNS A TODOS OS COLEGAS COMUNICADORES!

    ResponderExcluir